top of page
  • Quindim

10 dicas de livros para refletir sobre o direito da liberdade de expressão

Hoje, dia 14 de julho, comemoramos o Dia da Liberdade de Pensamento. Claro que precisamos exercitar esse direito de expressar nossas ideias, visões de mundo e sentimentos todos os dias. Ter liberdade de expressão está diretamente ligado ao direito de manifestação do pensamento. Esse é um DIREITO DE TODOS! Precisamos acolher e ter respeito ao nos depararmos com opiniões diferentes das nossas.


Liberdade de Pensamento é poder compartilhar ideias, expressar atividades intelectuais ou artísticas, por exemplo, sem nenhuma interferência ou opressão por outra pessoa ou sociedade.


A Revolução Francesa trouxe à tona as ideias de liberdade, em 14 de julho de 1789, e assim abriram caminho para a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, inspirada na Declaração Universal dos Direitos Humanos da ONU. O artigo 11º da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão diz: “A livre comunicação dos pensamentos e das opiniões é um dos mais preciosos direitos do Homem; todo o cidadão pode, portanto, falar, escrever, imprimir livremente, respondendo, todavia, pelos abusos desta liberdade nos termos previstos na Lei.”


O Instituto de Leitura Quindim selecionou 10 livros para que o tema da liberdade de pensamento e da Democracia sejam conversados em casa, na escola e na sociedade. Confira nossa lista:


1 • “O que é preciso para ser rei?”, de Leo Cunha, Tino Freitas e Fê (Pequena Zahar)

2 • “A democracia pode ser assim”, tradução de Thaisa Burani e ilustrações de Marta Pina (Boitatá)

3 • “O rei de quase-tudo”, de Eliardo França (Global Editora)

4 • “Clarice”, de Roger Mello e ilustrações de Felipe Cavalcante (Global Editora)

5 • “Gente de cor, cor de gente”, de Mauricio Negro (FTD)

6 • “A ditadura é assim”, de Equipo Plantel e ilustrações de Mikel Casal (Boitatá)

7 • “Eleição dos bichos”, de André Rodrigues, Larissa Ribeiro, Paula Desgualdo e Pedro Markun (Companhia das Letras)

8 • “Para educar crianças feministas – um manifesto), de Chimamanda Ngozi Adichie (Companhia das Letras)

9 • “Super feministas”, de Mirion Malle (Editora Oficina Raquel)

10 • “O jogo da democracia”, de Aldenor Pimentel e ilustrações de Camila Teresa (Editora Oficina Raquel)

bottom of page