A partir desta semana, a Biblioteca atende em novo horário e com muitas novidades nas prateleiras


A mudança irá permitir a visita de mais famílias e amantes da leitura. Foto: Lucas Marques.

A partir desta quinta-feira (03), a biblioteca do Instituto de Leitura Quindim (ILQ) irá atender em um novo horário: das 10h às 18h, sempre nas quintas, sextas e sábados. A extensão do horário de atendimento é para atender o desejo do Instituto para que mais famílias e amantes da leitura tenham tempo para conhecer o espaço e o acervo com mais de seis mil títulos. A criançada já sabe das maravilhas literárias que encontra na biblioteca, mas o Quindim também tem inúmeros livros para os leitores mais grandinhos. Para incentivar e aguçar a vontade dos adultos de conhecer o ILQ, aqui vão algumas novidades que estão chegando nas prateleiras literárias:


As obras:


“O Santo e a Porca”, de Ariano Suassuna (Editora Nova Fronteira): peça de um dos principais escritores brasileiros, “O Santo e a Porca” foi escrita em 1957 e retoma um clássico que tem roupagem original: não apresenta o vício da avareza apenas pelo que nele há de engraçado, mas, também, o seu aspecto doloroso, tomando o ponto de vista de quem o possui.




“A cidade de vapor”, de Carlos Ruiz Zafón (Editora Suma): o livro reúne todos os contos de Carlos Ruiz Zafón. Pensado pelo autor como uma verdadeira homenagem aos leitores que o acompanharam ao longo da série iniciada com “A sombra do vento”, este livro contém todo o mistério, o terror, a magia e a fascinação que sempre permearam suas histórias. Um livro do qual ecoa a magia de um escritor ainda capaz de fazer o público sonhar. “Cidade” é um passeio pelos temas, lugares e personagens do universo literário da série “O Cemitério dos Livros Esquecidos”.


“Hibisco Roxo”, de Chimamanda Ngozi Adichie (Cia das Letras): a jovem Kambili é a protagonista desta história que busca mostrar a influência da religiosidade ‘branca’ sobre nações africanas, como, por exemplo, na Nigéria. A forma que a religião determina o que é certo ou errado faz com que haja repulsa por parte do povo negro para com as tradições mais antigas de seus próprios ancestrais. A obra também mostra um retrato original da Nigéria atual, expondo os remanescentes invasivos da colonização.


“Pequena coreografia do adeus”, de Aline Bei (Cia das Letras): escritora do premiado “O peso do pássaro morto”, Aline Bei conta sobre Julia, uma jovem de pais separados. A mãe não suporta o fato de ter sido abandonada pelo marido, já o pai não suporta a ideia de ter vivido um casamento infeliz. Sufocada por brigas constantes e a falta de afeto, a jovem tenta reconhecer sua individualidade e dar sentido à sua história, tentando se desvencilhar dos traumas familiares. “Pequena coreografia do adeus” e “O peso do pássaro morto” estão disponíveis também para compra na Loja Quindim, além de retirada na Biblioteca.


“O menino, a toupeira, a raposa e o cavalo", de Charlie Mackesy (Sextante): no livro, o autor britânico dá a seus leitores momentos lindos de pura inspiração e esperança, partindo da história de menino pra lá de curioso, uma toupeira cheia de ganância, uma raposa cautelosa e um cavalo muito inteligente. O grupo, constantemente, se coloca em situações difíceis, mas naqueles momentos irão compartilhar medos e descobertas, tudo recheado de muita amizade e amor.


Todos os livros já estão disponíveis para retirada pelos associados na biblioteca do Instituto de Leitura Quindim.

Como funciona para se tornar associado da Biblioteca? Ao se cadastrar presencialmente no Instituto, cada família ganha o direito de levar para casa até 15 livros por 15 dias. O cadastro tem uma colaboração anual de R$20,00 (dependendo da situação socioeconômica, a taxa é isenta).

O Instituto fica na Rua Sinimbu, 1670, 6º andar do Edifício Eberle, centro de Caxias do Sul (RS).



LEIA TAMBÉM:

ARTIGO: Volta às aulas enfrenta pandemia e corte de investimentos

Livros premiados fazem parte do acervo do Instituto de Leitura Quindim

LITERATURA NEGRA: veja algumas obras de artistas referência no Brasil e no mundo que chegaram ao ILQ