ENTRE A ESPADA E A ROSA: Veja o perfil das convidadas/convidades


Além da homenageada, evento reunirá 15 convidadas/convidades de destaques em suas áreas de atuação

08/03 (19h) - Mulher Indígena na Sociedade Contemporânea:


Eliane Potiguara é escritora indígena, formada em Letras, Educação e especialista em Educação Ambiental. Em 1988, foi escolhida uma das “10 Mulheres do Ano” pelo Conselho das Mulheres do Brasil por ter criado a primeira organização de mulheres indígenas do país (o GRUMIN) e por ter trabalhado na elaboração da Constituição Federal. Também participou da elaboração da Declaração Universal dos Direitos Indígenas, na ONU.


Graça Graúna é escritora, poeta e crítica literária. Graduada, mestre e doutora em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e pós-doutora em Literatura, Educação e Direitos Indígenas pela Universidade Metodista de São Paulo (UMESP), publicou inúmeros livros e participou de antologias poéticas no Brasil e no exterior. É responsável pelo blog Tecido de Vozes.



Raquel Kubeo é ativista pelos direitos dos povos originários do Brasil, pedagoga e mestranda em Educação. Atriz, performer, bailarina e facilitadora de oficinas artísticas e educativas, é cofundadora do Terá Coletiva TErrATRAL. Participou, em 2019, da primeira Marcha das Mulheres Indígenas, organizada pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil.





09/03 (19h) - Mulher Negra nos Espaços da Política Pública


Benedita da Silva é deputada federal pelo PT. Foi constituinte, governadora do Rio de Janeiro (2002-2003) e a primeira senadora negra da história do país (1995-1998). Formada em Serviço Social, foi empregada doméstica, vendedora ambulante, professora da Escolinha Comunitária da Favela Chapéu Mangueira, ministra da Secretaria Especial de Trabalho e Assistência Social (2003-2007) e secretária Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos do Rio de Janeiro (2007-2010). É autora do projeto do projeto que inscreveu Zumbi dos Palmares no panteão de heróis nacionais, da proposta que oficializou o 20 de novembro como Dia Nacional da Consciência Negra e da Lei Aldir Blanc.


Denise Pessôa é servidora pública municipal, arquiteta e urbanista, feminista, mãe, vereadora pelo terceiro mandato em Caxias do Sul, pelo PT. Atuou no movimento estudantil, na pastoral da juventude e também foi assessora da deputada estadual Marisa Formolo, nos temas de juventude e mulheres. Atualmente é Procuradora Especial da Mulher, presidenta da Comissão de Direitos Humanos Cidadania e Segurança e da Subcomissão Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres.


10/03 (19h) - Mulher e Literatura


Natalia Borges Polesso é escritora, tradutora e pesquisadora de pós-doutorado com bolsa CAPES (PNPD) pela Universidade de Caxias do Sul (UCS). Foi selecionada pela coletânea Bogotá39 e premiada com o Jabuti em 2016. Em suas obras trabalha com as questões homoafetivas e coordena o grupo de pesquisa Geografias homoafetivas: literatura, gênero e leitura.



Maria Valéria Rezende é escritora, poeta e tradutora. Atua desde os anos 1960 com Educação Popular em diferentes regiões do Brasil e no exterior. Já trabalhou em todos os continentes. Detentora de vários prêmios Jabutis, também recebeu o Prêmio Casa de las Américas (Cuba, 2017) e o Prêmio São Paulo de Literatura (2017).




Alessandra Rech é jornalista, pesquisadora e escritora. Professora do Departamento de Comunicação Social e do Programa de Pós-Graduação em Letras e Cultura da Universidade de Caxias do Sul (UCS). Doutora em Letras/Literatura Brasileira pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), desenvolve estágio pós-doutoral na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em 2015 foi contemplada com o Prêmio Vivita Cartier de Literatura com a obra “Mirabilia”.


Leia mais:

Instituto Quindim promove II Seminário de Debates sobre o Dia Internacional das Mulheres


11/03 (19h) - Mulher e Educação


Pilar Lacerda é formada em História pela UFMG e especialista em Gestão de Sistemas Educacionais pela PUC-Minas. Foi professora da educação básica, diretora do Centro de Formação dos Profissionais da Educação de Belo Horizonte, secretária Municipal de Educação de Belo Horizonte (2002-2007), presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (2005-2007) e secretária de Educação Básica do Ministério da Educação (2007-2012). Foi também diretora da Fundação SM Brasil.


Cláudia Costin é professora na Faculdade de Educação de Harvard e Diretora Geral do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da FGV. Foi diretora sênior para Educação no Banco Mundial e integrou a Comissão Global sobre o Futuro do Trabalho da Organização Internacional do Trabalho (OIT). Foi ministra da Administração e Reforma do Estado (1995-2020) e secretária Municipal de Educação do Rio de Janeiro (2009-2014), maior rede de ensino público da América Latina.


Paula Ioris é vice-prefeita de Caxias do Sul. Psicóloga com pós-graduação em Gestão Empresarial, foi gestora de desenvolvimento de pessoal da Fras-le e gerente-executiva do Hospital do Círculo. Atua em defesa da segurança pública, da participação das mulheres na política e da inovação como indutora do desenvolvimento. É vice-presidente da ONG Brasil Sem Grades e uma das fundadoras do movimento Política de Saias.


12/03 (19h) - Mulher e Gênero


Helena Vieira é escritora, ativista e pesquisadora transfeminista. Em 2017, foi consultora da novela “A Força do Querer”, da Rede Globo, que incluiu personagem transexual. Participou de livros como “Explosão Feminista” (2018), organizado por Heloísa Buarque de Hollanda, e “História do Movimento LGBT” (2018), organizado por James Green e Renan Quinalha. Em 2020, foi pré-candidata à prefeitura de Fortaleza pelo PSOL.




Tom Grito é poeta. Dedica-se à poesia falada (spoken word/poetry slam) e às micro-revoluções político-sociais onde a poesia incinera, afaga, afeta e transforma. Pessoa não binárie transmasculine.





Ana Thomas Terra é escritora e ilustradora gaúcha, mas atualmente vive na França. Tem mais de 50 livros publicados. Nos últimos anos, se aventurou fora dos livros infantis, participando de exposições como gravurista da Semana de Arte de Clamart (França) e da Jornada da Estampa Contemporânea, em Paris, onde fez formação em Filoarte e Acompanhante de gestantes, desenvolvendo um trabalho que mistura literatura, arte e ancestralidade.


Márcie Vieira, mulher trans e travesti, atua com arte e educação. É especialista em Metodologia do Ensino de Artes pela Uninter (2019), tendo como pesquisa de TCC o projeto “Dramaqueer – da pedagogia queer para a dramaturgia teatral”. Graduada em Dança (UCS), licenciada em Pedagogia (Unifacvest) e atualmente cursa a pós-graduação em Direitos Humanos, Gênero e Sexualidade, pela UniRitter.



14/03 (19h) - Leia Mulheres: “A moça tecelã”, de Marina Colasanti


Roberta Saldanha é licenciada em Letras Português pela Universidade de Caxias do Sul (UCS) e faz especialização em Literatura Infantil e Juvenil pela mesma instituição. Desde 2017, é mediadora do grupo de leitura Leia Mulheres de Caxias do Sul, projeto que é realizado em todo território nacional com o objetivo de ampliar a leitura de livros escritos por mulheres. Atua principalmente com temas que envolvam a regionalidade, literatura, literatura regional, sistema literário e mulher.


Leia também:

Roger Mello ilustrou personagens de “Vamp”, que estreia no Globoplay

Ilustradora brasileira está entre as vencedoras do Nami Concours, da Coreia do Sul