Marilu Dumont lança novo livro na próxima semana


A bordadeira Marilu Dumont irá lançar o livro “Harmonia das cores nos fios do bordado - Alquimias na vida de uma bordadeira” no dia 10 de agosto, às 19h30, no canal do grupo Matizes Dumont no YouTube e Facebook. Além do lançamento, o encontro também terá o webinário “Harmonia das Cores”. É necessário se inscrever AQUI para participar.


O livro, segundo Marilu, vem para inspirar o leitor a olhar com sensibilidade, a aguçar a percepção, os sentidos. Na obra, a bordadeira conta como aprendeu sobre cores e a observar o mundo para fazer sua própria harmonização de cores e fazer delas a teriaga da vida.


O tema “Harmonização” foi escolhido por Marilu pois, além de ser cativante, é uma preocupação de inúmeras pessoas na prática do bordado. Ela percebeu, ao longo dos mais de 30 anos participando de oficinas de bordado, que esses relatos surgem muitas vezes carregados de medos, dificuldades e anseios relacionados às cores que acabam transformando-se em obstáculos para evoluir na prática do bordado.


CONHEÇA MAIS SOBRE O LIVRO


Marilu faz parte do Grupo Matizes Dumont, que borda os desenhos de Demóstenes, seu irmão, para ilustrar livros de diversos autores brasileiros, como, por exemplo, Jorge Amado, Manoel de Barros, Thiago de Mello, Rubem Alves, Carlos Brandão e Tetê Catalão. O grupo foi responsável pelos bordados do “Menino do Rio Doce”, único livro escrito por Ziraldo que ele não ilustrou. “A moça tecelã”, de Marina Colasanti, também conta com o trabalho das bordadeiras. Ambas as obras fazem parte do acervo da Biblioteca do Instituto de Leitura Quindim.


Confira um trecho do livro:


“E encontrar o equilíbrio entre as cores não é exclusividade de quem borda, mas de todos aqueles em cujos projetos incluam a cor. O processo de harmonização das cores no percurso do bordado passa necessariamente pela experiência da cor no cotidiano – do seu olhar com sensibilidade.


Um conjunto de cores é dito harmonioso quando o olhar percorre e traz a experiência de algo bom e belo de se ver. As cores estão em harmonia quando conversam entre si, provocando movimento de emoções. Quando nos comovem.”



LEIA TAMBÉM:

Ricardo Azevedo é o convidado de agosto do Quintal da Língua Portuguesa

Exposição do Amazônia Chama segue até o dia 15 de agosto no Reffugio